CLIPPING

Educação, Cultura e Esportes: Comissão debate efeitos da pandemia no ensino médio remoto

16/12/2021 12:43

Rogério Uchôa/Agência Pará
Educação - geral - aulas a distância videoaulas ensino professores câmeras transmissão (aluno de música do Instituto Carlos Gomes, em Belém-PA, assiste a videoaulas)
Pesquisa analisou o impacto das aulas virtuais no desenvolvimento dos estudantes

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados promove nesta quinta-feira (16) audiência pública sobre os impactos da pandemia de Covid-19 no ensino médio remoto.


A audiência será realizada às 14 horas, no plenário 12, e poderá ser acompanhada de forma virtual e interativa pelo portal e-Democracia.


A deputada Professora Rosa Neide (PT-MT), que propôs a realização do debate, disse que a audiência servirá para o parlamento conhecer a pesquisa feita pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), que com o apoio  do Instituto Vox Populi e do Fundo Malala saíram a campo para ouvir estudantes de 15 a 19 anos, a fim de visualizar um retrato do que aconteceu com eles, entre os anos de 2020 e 2021.


A pesquisa de opinião possui uma amostra de 2003 estudantes, com idade entre 15 e 19 anos, que estavam cursando o ensino médio, ou que haviam abandonado ou parado de estudar em 2020.


"As consequências da pandemia nos mecanismos de aprendizagem foram igualmente observadas (na pesquisa): as emoções, a necessidade de trabalhar, a falta de atividades extraescolares, a concessão irregular da alimentação escolar, o medo de voltar às aulas presenciais por conta do temor de se contaminar com a Covid-19", observou a deputada.


Debatedores

Confirmaram presença no debate:

- o subsecretário de Educação do Estado da Bahia, representando o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Danilo Melo de Souza;

- a coordenadora-geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Andressa Pellanda;

- a coordenadora do Coletivo Nacional de Educação da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq), Givânia Silva;

- o assessor especial de Políticas Educacionais da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) Weibe Tapeba;

- a assessora política do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) Cleo Manhas; e

- a monitora da Cipó Comunicação Interativa e do projeto Monitorando o Orçamento da Educação (Inesc e Fundo Malala) Bruna Salomão.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Veja também

4ª Conae debate a respeito de políticas educacionais brasileiras para os próximos 10 anos

02/12/2022 07:59

Definido o cronograma do Censo Superior 2022

02/12/2022 07:54

Comissão de Ciência e Tecnologia aprova Geração Distribuída nas Universidades

02/12/2022 07:52

INSCREVA-SE PARA RECEBER NOVIDADES

Artigos, notícias e informativos sobre legislação da área da educação



CONTATO

SEPN 516 Norte, Bloco D, Lote 9,

Edifício Via Universitas, 4° andar

CEP 70.770-524 - Brasília - DF

Entrada pela via W2

(61) 3349.3300

(61) 3347.4951

(61) 3030.2200

(61) 9.9370.3311

abruc@abruc.org.br

REDES SOCIAIS

COPYRIGHT © 2018 ABRUC. A ABRUC não é responsável pelo conteúdo de sites externos.